Termopares, Termorresistências, Sensores PT-100, Sensores Especiais, Termopar de Isolação Mineral, Fios e Cabos, Poços Termométricos
Português English Español
Produtos para Indústria > Fios e Cabos de Extensão e Compensação > Fios e Cabos de Extensão e Compensação

Acessórios

Fios e Cabos de Extensão e Compensação

Pirômetros Óticos AST Israel - Aço

Pirômetros Óticos AST Israel - Alumínio

Pirômetros Óticos AST Israel - Cimento

Pirômetros Óticos AST Israel - P&D

Pirômetros Óticos AST Israel - Vidro

Poços Termométricos

Sensores Especiais

Termopar de Isolação Mineral

Termopar de Isolação Mineral c/poço - Série TMP

Termopares

Termorresistência PT100 c/poço de proteção - Série TRP

Termorresistências

Transmissores de Temperatura

Tubos de Proteção

Fios e Cabos de Extensão e Compensação
Fios e Cabos de Extensão e Compensação
Fios e Cabos de Extensão e Compensação

Fios e Cabos de Extensão e Compensação

Cabos de Extensão e/ou Cabos de Compensação é o termo técnico dado aos cabos de ligação entre os sensores de Temperatura do Tipo Termopar até seu instrumento leitor (controlador, registrador, entre outros)…
Leia Mais
Seus condutores são formados por ligas metálicas que possuem a mesma composição química das ligas metálicas que constroem o termopar, tendo assim, cada tipo de termopar um tipo de cabo apropriado. 
 
Este tipo de particularidade se faz necessário para que o sinal gerado pelo sensor não apresente erro na leitura, pois ao ser conduzido por outro condutor metálico, o sinal teria perda de intensidade e outros fenômenos elétricos. São chamados estes os Cabos de Extensão.
 
Para os chamados “termopares nobres”, que possuem elementos de alto custo em sua composição química como a Platina e Ródio (caso de Termopares do Tipo R, S e B), são utilizados cabos com condutores metálicos que compensem a perda de sinal ocorrida, desta maneira, eliminando erros na leitura. São chamados estes os Cabos de Compensação.
 
A escolha correta na interligação do sensor ao instrumento também deve contemplar o local onde será feita a passagem do cabo, observando condições ambientais de temperatura, umidade, interferências elétricas e possível abrasão.
 
Referente a bitola (espessura) do cabo, deve-se observar limitações dimensionais por onde o cabo irá passar, bem como eventuais torções no processo de instalação ou operação dos cabos.
 
Cabos com bitolas mais grossas, tendem a ter maior resistência à ruptura em casos de constante movimento de instalação, porém possuem custo mais elevado e necessidade de uso de eletrocalhas/ conduites maiores.
 
Como o sinal conduzido por cabos termopares é um sinal elétrico muito baixo, recomenda-se a instalação dos mesmos dentro de eletrocalhas e conduítes metálicos, evitando problemas de indução/ruído elétrico nas instalações.
 
A Alutal fornece ainda todos os cabos com opções de blindagem eletrostática e fio dreno para estes casos.
Os cabos de termopares simples tem 2 condutores, sendo assim, positivo e negativo. É de suma importância que seja observada a polaridade na ligação do termopar e cabo.
 
Existem Normas Internacionais que são utilizadas para coloração dos cabos termopares, bem como seus dois condutores: positivo e negativo.
 
Dentre as normas mais utilizadas no mercado brasileiro, podemos citar a Norma ANSI (Americana), norma DIN (Européia/Alemã) e a Norma JIS (Japonesa).
 
É recomendável que cada fábrica e instalação opte pela utilização de apenas uma norma dentro de sua malha de cabos termopar, evitando erros, dado o fato que uma coloração de uma norma para um determinado tipo de sensor pode-se repetir em outra norma para outro tipo de sensor.
 
A Alutal adota como padrão a norma ANSI (americana) quando não especificada a norma pelo cliente.
Para casos de instalação de Termopares Duplos, Triplos ou Multi-Termopares (sensores de temperatura com mais de um ponto sensor), podem ser fornecidos multicabos, onde em um apenas um cabo temos vários pares condutores de sensores.
 
A determinação do comprimento do cabo para necessidades de distâncias longas deve-se observar a resistência total do circuito e evitar ruído elétrico nos sinais do termopar. 
 
A resistência do cabo irá variar em função do tipo do termopar, bitola e comprimento.
A resistência do circuito admissível depende da impedância de entrada do instrumento na qual será conectado, a Alutal recomenda manter a resistência total do circuito abaixo de 100 ohms e como orientação, cabo de 20 AWG ou mesmo com bitolas maiores e em locais livres de interferências elétricas, manterem o comprimento total menor que 30m e para distâncias mais longas recomendamos a utilização de transmissores de temperatura dentro do cabeçote.
 
O transmissor, irá converter o sinal dentro de um padrão imune a oscilações e cargas elétricas, possibilitando uma conexão em distâncias maiores.
 
A Alutal trabalha com uma grande variedade de tipos de isolação, normas, bitolas e isolação elétrica em seu estoque.
 
Consulte nosso departamento de vendas e área técnica para a correta especificação do seu cabo. Será um enorme prazer lhe atender!


Solicite um orçamento








Digite o código ao lado:




A Alutal realiza testes em todas etapas do processo produtivo de seus sensores. Confira abaixo os testes e certificações aplicáveis para essa série. Caso deseja obter uma cópia dos testes feitos para o lote de sua compra, solicite os mesmos junto ao departamento comercial no ato do pedido.

Certificados para essa série

Painel do cliente:
Assine nossa newsletter

PRODUTOS PARA INDÚSTRIA

Mind Design